MOSTRA CENÁRIO SOCIOAMBIENTAL 2016

Curadoria: Antônio Luiz Baldan

DIA 12 DE JUNHO – SEGUNDA-FEIRA

18h – ABRAÇO DA MARÉ
Direção: Victor Ciriaco
Duração: 16min
Sinopse: O dia a dia de quem mora em um centro urbano é sempre atribulado. Porém, bem no meio disso tudo, cinco pessoas vivem na mais pura sintonia entre a natureza e a cidade. Do asfalto ao mangue, o curta-metragem documental “Abraço de Maré” traz para a tela a história de vida de uma família ribeirinha, que mora em uma casa de taipa às margens do rio Potengi. Esse documentário nos leva a refletir sobre essa dualidade e sobre o quanto a realidade que nos parece ser tão distinta nos é, na verdade, tão próxima.

O MURO É O MEIO
Direção: Eudaldo Monção Jr
Duração: 15min
Sinopse: O documentário aborda pichações de protesto gravadas nos muros da Universidade Federal de Sergipe. São gritos de revolta pela falta de segurança no campus, estrutura e qualidade de ensino. As pichações são mostradas como formas de indignação, reivindicação e também de comunicação contra a apatia das paredes brancas que abafam os conflitos socioculturais.

19h – O RETORNO DA TERRA – TUPINAMBÁ
Direção: Daniela Alarcon
Duração: 25min
Sinopse: Há dez anos, os Tupinambá esperam a conclusão do processo de demarcação de sua terra. Nesse quadro, vêm realizando ações coletivas conhecidas como retomadas de terras, recuperando numerosas áreas no interior de seu território que estavam em posse de não-indígenas. Por essa razão, têm sido alvos de criminalização e ataques violentos, tanto por parte do Estado brasileiro, como por indivíduos e grupos contrários à garantia de seus direitos. Para contar essa história, reunimos depoimentos e sequências gravadas em maio de 2014 na aldeia Serra do Padeiro, na Terra Indígena Tupinambá de Olivença, sul da Bahia (Brasil), assim como imagens de arquivo. No filme, a história de expropriação e resistência dos Tupinambá é narrada segundo a perspectiva dos indígenas, para quem a terra pertence aos encantados, as entidades mais importantes de sua cosmologia.

20h – ESPELHO D´ÁGUA: BAILARINA DO LAGAMAR
Direção: Liz Vitt e Rafael Costa
Fotografia: Aline Brant
Produção: Curso de Cinema Ambiental – UFRJ Macaé
Duração: 25min
Sinopse: O filme aborda o ponto de vista de uma adolescente em relação a audiência pública do Terminal Portuário de Macaé.

DIA 13 DE JUNHO – TERÇA-FEIRA

18h – OS SETE CAPITÃES 

Produção: TV Câmara / NUPEM
Duração: 29min
Sinopse: Documentário sobre os sete capitães, que deram início à efetiva colonização da planície goitacá,  demarcando as terras recebidas em sesmarias. Em 1632, os Sete Capitães reuniram um grupo e saíram da região de Cabo Frio em direção à Capitania de São Thomé, para conhecer as terras que receberam de presente do governador do Rio de Janeiro, Martim Correia de Sá. Eles não receberam toda a capitania, mas somente a parte compreendida entre o Rio Macaé, correndo a costa, até o Rio Iguaçu, ao norte do Cabo de São Thomé.Durante toda a viagem, o grupo buscou por terras que beneficiassem naturalmente a criação de bovinos, sendo que nas terras de Campos, encontraram pontos ideais nas proximidades da Lagoa Feia e do Rio Paraíba do Sul, com água e pastagem natural.

 

19h – PESSOA-COISA, CIDADE-TORRE 

Direção: Paula Sacchetta
Duração: 22min
Sinopse: Todo final de semana, em São Paulo, trabalhadores e trabalhadoras se deslocam das periferias de onde vivem e desembarcam nas áreas ricas da cidade. Uma vez aqui, são transformados em placas e setas que apontam para os novíssimos empreendimentos imobiliários da cidade. O que essas pessoas, popularmente conhecidas como ‘’homens-placa” (mesmo sendo mulheres), nos revelam sobre o país e a cidade que temos? Quem são, de onde vem, quanto ganham, como trabalham? O que anunciam com seus corpos de estandarte? Para quem? O que este estágio avançado do ser tornado coisa nos diz sobre a cidade tornada torre?


20h – SOMOS TODOS CATADORES  

Direção: Tiago Quintes
Duração: 50min
Sinopse: A história dos catadores e catadoras do “Aterro da Codin”, em Campos dos Goytacazes, contada pelo ponto de vista destas pessoas que se mantinham através da catação dos materiais recicláveis. O filme aborda questões sobre o trabalho, renda, acidentes, doenças, alimentação, a relação com os compradores e a situação dos catadores após o fechamento do “lixão” pela Prefeitura Municipal.

DIA 14 DE JUNHO – QUARTA-FEIRA

18h – O ABRAÇO DA SERPENTE
Direção: Ciro Guerra (Colômbia)
Duração: 124min
Sinopse: Karamakate, outrora um poderoso xamã da Amazônia, é o último sobrevivente de seu povo, e agora vive em isolamento voluntário nas profundezas da selva. Os anos de solidão absoluta o tornam vazio, privado de emoções e memórias. Sua vida sofre uma reviravolta quando chega ao seu esconderijo remoto Evan, um etnobotânico americano em busca da Yakruna, uma poderosa planta, capaz de ensinar a sonhar. O xamã decide acompanhar o estrangeiro em sua busca, e juntos embarcam em uma viagem ao coração da selva, onde passado, presente e futuro se confundem, fazendo-o aos poucos recuperar suas memórias. Essas lembranças trazem uma dor profunda que não libertará Karamakate até que ele transmita o conhecimento ancestral que antes parecia destinado a perder-se para sempre.